“Tollebat citharam (I Sm 16, 23)”, por Gabriel Sant’Ana

dedilhava delicadamente de Saul a cítara e o sentimento recedendo o outro espírito ressentido rasgando ao sair com garras a pele pelo sumo divino esquecida leves ficando os humores por dedos leves assovios harmônicos impaciente e grave rosto brando e suave formando antipático demônio de traços grosseiros incitando à diva aversão cítara pesado corpo real sacolejaContinuar lendo ““Tollebat citharam (I Sm 16, 23)”, por Gabriel Sant’Ana”

“outra vez bolo de nozes”, por Gabriel Sant’Ana

insistentemente bate com o martelinho a noz para fazer o esperado bolo de nozes deste natal com nosso punho fortemente mãos seguras firmemente estraçalhando em miúdos pedaços as nozes repete as batidas em agressividade crescente constantemente daqui algumas horas virão nossa sogra nossos sobrinhos com seus sorrisinhos felizes de uma felicidade oca e transparente seusContinuar lendo ““outra vez bolo de nozes”, por Gabriel Sant’Ana”