O Surreal Faz, Não Faz, Faz, Não Faz Sentido

por Luciano Cabral Quando chamamos algo de surreal costumamos associá-lo ao bizarro, ao incomum, ao estranho e ao incoerente. Olhamos, muitas vezes, de modo torto para narrativas que não possuem uma sequência lógica. E o próximo passo é, quem sabe, deixar o texto de lado. Acontece que certos escritores, principalmente no início do século passado,Continuar lendo “O Surreal Faz, Não Faz, Faz, Não Faz Sentido”

Caixas de Sobra – Ep. 34

[Ainda não leu os episódios anteriores? Clique aqui] fonte: https://cdn.pixabay.com/photo/2016/07/16/16/20/snake-1522257_960_720.jpg uma serpente cruza o caminho de Passos, ele cruza os dedos lembrando as contas do rosário, sibila um verso da oração antiga, vade retro a serpente continua seu rastejar em busca de alguma centelha de esperança que se esforça por se manter viva, não foi para isso queContinuar lendo “Caixas de Sobra – Ep. 34”

Caixas de Sobra – ep. 21

[Se ainda não viu os últimos capítulos, clique aqui] Disponível em: https://pixabay.com/en/red-couch-weathered-couch-sofa-66819/ nem mesmo Sun Tzu conseguiu resistir dentro do meu bolso, se a guerra é uma arte, eu devia ter orgulho do artista em que me tornei, eu pensava na pergunta de Angélica e na resposta que escaparia da minha boca se não tivesse sidoContinuar lendo “Caixas de Sobra – ep. 21”

O começo da história: a primeira impressão é a que fica

por Luciano Cabral O título deste pequeno texto talvez fale mais para o leitor do que para o escritor. Porque, quase sempre, a primeira frase que lemos não é a que o autor tinha em mente quando pensou sua história. Há começos de histórias que não cativam (embora não signifique que o que virá não cative). MasContinuar lendo “O começo da história: a primeira impressão é a que fica”

Caixas de sobra – Ep. 17

(Não viu os últimos capítulos ainda? Clique aqui!) A meia lua assomava no centro do céu. Brilhava escondida entre nuvens roxas. O jeito com que sorria causava certo desconforto a Santos Passos. Não se importava se amanhecia ou anoitecia. Mas não suportava aquela sensação. De ser perseguido. Observado. Ele não contava os dias desde aContinuar lendo “Caixas de sobra – Ep. 17”

Caixas de sobra – Ep. 05

(Não viu os últimos capítulos ainda? Clique aqui!) “O produto está errado.” A frase ecoava na minha cabeça sem parar.  “O produto está errado”. Errado como? Com defeito? Não era isso que você queria? Eu devia ter perguntado por telefone, mas quanto menos se fala nessas circunstâncias, maiores são as chances do comprador desistir daContinuar lendo “Caixas de sobra – Ep. 05”

Caixas de sobra – Ep. 04

(Não viu os últimos capítulos ainda? Clique aqui!) Inescapável, é o que se diz de algo para o qual não há retornos ou contornos que possibilitem alternativa diferente. Apenas um único caminho. As blackouts estão alinhadas de forma a impossibilitar que me vejam. Apenas um único caminho pode trazê-lo aqui, e é pelo lado parContinuar lendo “Caixas de sobra – Ep. 04”

Altergrafia apresenta: “Tempos de brisa (ou a partilha do gato)”, por Leonardo M. A. Pinheiro

“Essa energia que já anda tão parada, tão carregada de uma nostalgia de fotos empoeiradas, me dá um sono danado, ainda mais com esse friozinho… Se bem que dormir é mesmo a melhor opção. Até porque a brisa não cessava de cruzar por entre as frestas e, insistindo em uivar, fazia o que Joana deveriaContinuar lendo “Altergrafia apresenta: “Tempos de brisa (ou a partilha do gato)”, por Leonardo M. A. Pinheiro”

Autor convidado: Leonardo M. A. Pinheiro

“Escrevo porque viver não basta, tem que ir além”. Isso pode inclusive soar poético em mentes tendentes ao gênero. Mas partindo de mim… não sei. Lances de poesia não perfazem muito minha jovem obra, ou pelo menos assim enxergo. Não que me negue, ou as negue, mas que desde já assumo a falta de intençãoContinuar lendo “Autor convidado: Leonardo M. A. Pinheiro”