O horror e as novas tecnologias

Não é fácil escrever histórias de horror. Essa frase parece um contrassenso quando observamos a quantidade de filmes do gênero que todo ano inundam as telas do cinema – fora toda a produção underground que não alcança o grande ecrã. Tal fato se deve, em parte, à facilidade que se encontra em produzir-se obras comContinuar lendo “O horror e as novas tecnologias”

Poligrafia Revista – Ed. 01

Tendo em vista que nem todos podem acompanhar nossas postagens no blog ao longo do mês, resolvemos criar a Poligrafia Revista,  uma forma de compilar todos os textos que se encontram em nosso site. As edições seguirão sempre as novas temáticas do Polistórias, nosso projeto com maior quantidade de texto. Dessa forma, a primeira edição abrangerá todos osContinuar lendo “Poligrafia Revista – Ed. 01”

“Praia do urso”, por Jonatas T. Barbosa

“Marie despertou vomitando água salgada que escapulia pelo nariz e sentindo o fedor de pelo molhado. Não sabia quanto tempo se passara, mas já estava escuro. A lua minguava como uma lâmina. Ela sentia apena dor de cabeça. O resto do corpo parecia ileso. Passou a mão pela barriga, flanco e coxas. As pernas estavamContinuar lendo ““Praia do urso”, por Jonatas T. Barbosa”

“Carne de Bicho, Carne de Gente”, por Luciano Cabral

“Rebeca nota o rosto úmido do filho, “Davi estava chorando?”, seca suas lágrimas com a bainha da blusa, “estava”, “por quê?”, “fome, como todos nós”, as duas entram na cozinha, Bartolomeu pega o cachimbo que havia deixado na poltrona, dá uma tragada e vai sentando vagarosamente na poltrona, “eles vão dar um jeito, como sempre,Continuar lendo ““Carne de Bicho, Carne de Gente”, por Luciano Cabral”

Auspício, por Lucas M. Carvalho

“Um rio sem nome cruzava nossa frente e descia em cachoeiras por plataformas circulares que se repetiam. A correnteza vinha do flanco de uma montanha que mal se via no horizonte. Descemos pelas pedras escorregadias, nível por nível, e Alfredo da Cunha notou tal uniformidade que não poderia ser feita pela natureza: era um templo,Continuar lendo “Auspício, por Lucas M. Carvalho”

Polistórias: Terror

A noite caiu sobre o Poligrafia, e as sombras de nossos pesadelos espreitam as janelas.  O medo inaugura nossa sessão temática, homenageando o gênero que, seja através de Poe, Lovecraft ou Stephen King, foi capaz de permanecer no imaginário popular por mais de um século. O tema: terror. A única regra: evitar o óbvio, o lugarContinuar lendo “Polistórias: Terror”