Caixas de sobra – Ep. 31

[Quer ler os episódios anteriores? Clique aqui] conheça teus inimigos, apareça nos pontos onde o inimigo terá que se apressar para se defender e marche rapidamente para lugares inesperados, cala boca cala boca cala boca cala boca. ‘não estou falando nada’ ‘está sim, cala a boca’ as motocicletas correm na direção do carro, eu eContinuar lendo “Caixas de sobra – Ep. 31”

Caixas de sobra – Ep. 30

[Quer ler os episódios anteriores? Clique aqui] Suor escorrendo no buço A cabana mais escura, a madeira iluminada pela lâmpada incandescente meio morta Os três, de pé, a porta se abre Ele está nervoso, ele está com medo             Do lado de fora, cheiro de mato. Sons de grilos e cigarras.             Sua mão encontraContinuar lendo “Caixas de sobra – Ep. 30”

Caixas de sobra – Ep. 24

[Se ainda não viu os últimos capítulos, clique aqui] Já tinha se habituado às pedras, matos, mosquitos, formigas de todo tipo, percebe que sua audição não havia de todo se perdido, parece ter desenvolvido uma atenção mais sutil aos menores sons, ali é um sabiá!, agora se lembrava das rápidas aulas de Angélica sobre osContinuar lendo “Caixas de sobra – Ep. 24”

Caixas de sobra – Ep. 22

[Se ainda não viu os últimos capítulos, clique aqui] Passos despertou. Estava tudo submerso em silêncio. A TV sintonizada em um canal fora do ar, muda. O suor do seu corpo atraía os insetos. Era a única coisa com que não conseguia se acostumar. As moscas de lanchonete não passavam de borboletas comparadas àqueles parasitas.Continuar lendo “Caixas de sobra – Ep. 22”

Caixas de sobra – Ep. 19

(Não viu os últimos capítulos ainda? Clique aqui!) O sussurro impeditivo o afeta, aquela tonalidade feminina, de leveza agressiva, o faz cair em sua incapacidade, não pula o muro, Abrão, não! Vem comigo, melhor por aqui. Ser guiado. Passos segue. Angélica. Haveria de esquecer os dias passados por um tempo… O incidente. A falta deContinuar lendo “Caixas de sobra – Ep. 19”

Altergrafia apresenta “Crime Doesn’t Pay”, de Harold Emert

“A vibrant metropolis which never sleeps…the incessant samba beat, as “schools” of samba dancers and musicians rehearse for Carnaval.  Rap music from the favelas, where Black Orpheus once reigned. Drug traffickers, violence, invading military police called BOPE with pistols and rifles aimed high. Supposedly the most beautiful city in the world, to which the Portuguese Royal familyContinuar lendo “Altergrafia apresenta “Crime Doesn’t Pay”, de Harold Emert”

“M.N.”, por Gabriel Sant’Ana.

“Uma forte emoção faz vibrar Manuela. As imagens borradas de sua infância vão se desembaraçando. Inconsciente, sua mão desliza sobre as cicatrizes da nuca e das costas. Não foram pela queda da bicicleta ou do balanço quando tia Ilda a levava ao parquinho da praça… Não poderiam ser.” Após o intrigante caso conspiratório alemão deContinuar lendo ““M.N.”, por Gabriel Sant’Ana.”