Polistórias: Crime

Um dia desses, dei por abrir meu Capão pecado, do Ferréz. Logo no início, tem uma espécie de prelúdio feito pelo Mano Brown e uma frase chamou minha atenção: “Aqui as histórias de crime não têm romantismo e nem heróis.” Ele estava falando de São Paulo, do Capão Redondo mais especificamente. Mas a máxima poderia,Continuar lendo “Polistórias: Crime”